Caminhos de uma borboleta

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Fizeram a gente acreditar...

...que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra nós que amor não é acionado, nem chega com hora marcada. Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável. Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada "dois em um": duas pessoas pensando igual, agindo igual, que era isso que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável. 

Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos. que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto. Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade. Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes, e que podemos tentar outras alternativas. Ah, também não contaram que ninguém vai contar isso tudo pra gente. Cada um vai ter que descobrir sozinho. E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo, vai poder ser muito feliz e se apaixonar por alguém."

John Lennon

Musicas para dias de chuva



                    Primeiramente, oi para vocês :)
Eu andei bem distante daqui, tanto que nunca mais postei nada, mas eu não vou mais agir dessa forma com o meu querido blog. 
Retomando as postagens, quero mostrar-lhes uma banda que conheci nas férias. Ela chama-se Esteban, e é uma ótima dica para quem gosta de ouvir músicas em dias de chuva...ou em qualquer outro dia. Músicas românticas que eu falo. Então, vale a pena ouvir. 

Musica Sophia. Seguem-se o video e a letra.



Sei que eu não vou ser o primeiro
E talvez não seja o último a falar
Por ter medo de te perder
Quero ver como tudo é la fora
Mas você ainda não me deixa entrar
Por medo de também querer
Sabe aqueles caras que hoje passam por aí
Eles me lembram outro cara que um dia eu conheci
Quando ele viu você não soube o que falar
Por medo de ouvir uma resposta que fizesse o coração parar...
Mas se eu fosse você, daria uma chance pra tentar...
Sophia...
Sophia...
Quero saber o que sente agora
Se ainda sonha ou continua a pensar
Que nada disso vai valer
Ainda não sabe me dizer direito
Se me deixa ou se me põe no peito eu sei
Tem medo de se arrepender
Sabe aqueles dias que nunca vão se apagar
Que os outros caras só queriam ocupar o meu lugar
Quando eu vi você, não soube o que falar
Por medo de ouvir uma resposta que iria me fazer ficar
E se eu fosse você daria uma chance pra voltar...
(Então me diz Sophia o que eu posso fazer ?
Pra te ter dentro da minha vida, e fora da minha TV!)
Quando você me ver, já sabe o que falar
Não tenha medo de dizer alguma coisa pra fazer a minha vida mudar
E quando eu ver você, queria uma chance pra ficar
Sophia...
Sophia...
Musica Pianinho. Seguem-se o video e a letra.

Eu vou tentar mais uma vez
Eu vou atrás, não vou ter medo
Eu vou bater, eu vou entrar
Eu vou chegar mais cedo mais uma vez
Quem é você que não me vê?
Cadê você que eu não vejo?
Cadê você pra me dizer que tudo isso vai passar?
Eu vou entrar na tua casa
Eu vou entrar na tua vida
Eu vou sentar e esperar tu me mandar embora mais uma vez
Quem é você que me esqueceu?
Cadê você que eu não esqueço?
Quem é você que me prendeu
E depois me deixou pra trás?
Que não vai voltar
Por mais que eu cante, escreva, toque
Não vai dar
Você não vai mudar
(Sabe que sozinho eu não sei aonde ir)
Você não vai mudar
(Sabe que sozinho eu não sei aonde ir)
É claro que tu vai dizer que nunca soube o que eu queria
E fica fácil pra você se agora já não vale o que passou
Os teus amigos, meus amigos, não conseguem dizer nada
Os meus amigos, teus amigos, dizem que não sabem mais quem eu sou
E eu não vou ficar
Te procurando aonde eu posso encontrar
Alguém pra me mudar
(Que diga que sozinho não preciso mais seguir)
Alguém pra me mudar
(Que diga que sozinho não preciso mais seguir)
Textos pessoais em breve (:

domingo, 19 de dezembro de 2010

Esses são alguns textos com os quais me identifico muito, e que por isso resolvi colocá-los aqui. Porém, as palavras contidas nesses textos não são minhas. São palavras que eu quis escrever, mas não achei a forma certa de fazê-lo. No entanto, elas parecem ter sido tiradas do fundo da minha alma, traduzindo e mostrando um pouco do que eu sou.

No fim das contas,
Tudo o que precisamos mesmo é estar próximos de alguém. Então, essa coisa, onde todos nós mantemos nossa distância e fingimos não nos importar uns com os outros, é normalmente um monte de abobrinha. Então, nós vamos e escolhemos de quem queremos ficar perto, e uma vez que escolhemos aquelas pessoas, tendemos a continuar perto. Não importa o quanto nós os magoamos, as pessoas que estão contigo no fim são aquelas que vale a pena manter. E, claro, às vezes o perto pode ser perto demais. Mas, às vezes, essa invasão do espaço pessoal pode ser exatamente do que precisamos. (ou não)

Esquecer e perdoar.
É isso que dizem por aí. É um bom conselho, mas não muito prático. Quando alguém nos machuca, queremos machucá-los de volta. Quando alguém erra conosco, queremos estar certos. Sem perdão, antigos placares nunca empatam, velhas feridas nunca fecham. E o máximo que podemos esperar é que um dia tenhamos a sorte de esquecer.

Não se pergunte...
...por que as pessoas enlouquecem. Se pergunte por que não enlouquecem. Diante do que podemos perder num dia, num instante. Se pergunte que diabos é isso que nos faz manter a razão.

O tempo.
Na hora da saudade, da tristeza, do desamparo, é com ele que contamos: o tempo. Queremos dormir e acordar dez anos depois curados daquela idéia fixa que se instalou no peito, aquela obsessão por alguém que já partiu de nossas vidas. No entanto, tudo o que nos invadiu com intensidade, tudo o que foi realmente verdadeiro e vivenciado profundamente não passa. Fica. Acomoda-se dentro da gente e de vez em quando cutuca, se mexe, nos faz lembrar da sua existência. O grande segredo é não se estressar com este inquilino incômodo, deixá-lo em paz no quartinho dos fundos e abrir espaço na casa para outros acontecimentos.

Erros são dolorosos,
mas eles são a única forma de descobrir quem você realmente é.

Os contos de fada. 
Sabe quando você era uma criança e você acreditava em contos de fadas? Essa fantasia de que sua vida seria - o vestidinho branco, o Príncipe Encantado que iria te levar para um castelo em uma colina. Você se deitava na cama à noite, fechava seus olhos e você tinha fé total e absoluta nisso. Papai Noel, a fada dos dentes, o Príncipe Encantado - eles ficavam tão perto que você podia tocá-los. Mas aí você cresce e um dia você abri os olhos e o conto de fadas desaparece. A maioria das pessoas se voltam para as coisas e as pessoas em que podem confiar. Mas a coisa é a seguinte, é difícil deixar  totalmente de ir nesse conto de fadas , porque quase todo mundo tem, seja ela a menor que for, um pouco de esperança e fé que um dia iria abrir os olhos e tudo iria se tornar realidade.

Há um velho provérbio...
...que diz que você não pode escolher sua família. Você aceita o que o destino lhe dá. E gostando deles ou não, amando-os ou não, entendendo-os ou não, você se adapta a eles. Aí tem também aquele que diz que a família onde você nasce é simplesmente o ponto de partida. Eles te alimentam, te vestem e tomam conta de você até que esteja pronto para cair no mundo e encontrar sua própria família, sua tribo.


Existem duas pessoas em mim.
O que eu faço e o que eu sou. São pessoas diferentes que, aos olhos de muitos, são absolutamente iguais. No entanto, tamanha semelhança não justifica tanta confusão. Caixas cheias, contendo toneladas de decepções são empilhadas a cada vez que o que eu faço entra em conflito com o que eu sou. E não há como juntar as pessoas em uma. São almas feitas para serem somadas, não subtraídas. Se houvesse algum jeito de fazê-lo, os verbos ser e fazer seriam um só, com o mesmo significado. Portanto, não confunda. (e nem entendam errado, não estou dizendo que sou falsa.)

Espero que tenham gostado ^^

domingo, 12 de dezembro de 2010

Postagem dedicada a uma das minhas alegrias.

Bem...depois de mil e uma tentativas, não consegui fazer uma poesia sobre o meu incrível e imenso amor pela chuva, pelo frio e pelo céu no tom de cinza escuro.

É incrível como o céu se transforma de tal maneira;
É lindo como tudo toma aquele tom de cinza, aquele tom que deixa tudo mais lindo, mais sereno, mais sombrio.

Dias de chuva me ajudam a limpar a mente e, nesses momentos, eu não gosto de pensar em nada, gosto apenas de ficar contemplando a divindade da natureza, de ver como ela é capaz de fazer com um céu inteiro chore. [/ E por favor não pensem que eu gosto de ver sofrimento, aquilo foi uma metáfora.]

Simplesmente não encontro palavras para expressar o meu imenso amor pela chuva. Pelo céu nublado. Pelo frio natural. É algo que se encontra acima das palavras. Então aqui fica – ou não -  o meu pensamento sobre este lindo fenômeno da natureza.

sábado, 11 de dezembro de 2010

"Doces sonhos"

Essa música é umas das eu gosto de escutar antes de dormir...me ajuda a refletir sobre a vida nos meus últimos segundos de consciência antes do sono profundo.

video

Wakeshima Kanon - Sweet Dreams

Errar é humano?

"Errar é humano." , isso é o que quase todas as pessoas dizem quando erram ou quando outro erra. Mas será que errar faz parte apenas da "natureza" humana? Será que somos capazes apenas de errar?
Na minha concepção, o erro é uma oportunidade. Uma oportunidade de aprendizado e de amadurecimento. Concordo com a sentença de nós aprendemos com os nossos erros, a partir do momento que sofremos as conseqüências do mesmo. Eu só gostaria de entender o porquê de ninguém falar que "Acertar é humano."
Tenho consciência de que o ser humano possui defeitos tão imensos quanto a sua capacidade de fazer o mal em prol do bem próprio, porém a nossa espécie também tem a capacidade de acertar. 
Não generalizemos, por favor.
A nossa espécie tem o privilégio de ser diferente, no sentido que cada um de nós é COMPLETAMENTE distinto do outro. Não simpatizo com quem diz que todos os seres humanos não prestam. Certo, também não estou querendo dizer que há aqueles "santos", porém nós temos a capacidade de admitirmos os nossos erros, aprender com eles, realmente aprender com eles, e amadurecermos com isso, mudando nossa capacidade de pensamento e atitude. Então porque não o "Acertar é humano."? Será que somos tão imundos assim? Será que, com a inteligência que nos foi concedida, ninguém acertou? 
Mas como assim acertar?
Depende do referencial, não?! O cara que inventou o carro pode ter pensado, assim como tantos outros, que acertou em cheio quando criou um objeto que facilitaria a vida de todos no âmbito de locomoção rápida. E hoje, não tirando o mérito do criado ou muito menos a qualidade do seu invento, vemos que o planeta sofre. Então, o acertar e o errar tem sentido apenas na visão individual., porém, ainda neste exemplo, não faltam pesquisadores tentando achar uma forma de deixar o carro mais ecológico. 
Não estou querendo dizer que o cara que manda desmatar uma reserva para no lugar construir um shopping esteja certo. O que estou tentando passar como mensagem nesse texto é que o ser humano, assim como tem a capacidade de ser um algo ruim, também tem a capacidade ser se tornar algo bom e fazer algo em prol do bem maior. 
Mas disso estou certa: o homem acertou quando criou o piano, o violino, o saxofone, desenvolveu a filosofia, o teatro, a música e etc. Estou dizendo que o ser humano é uma espécie única, com particularidades individuais. 
O "mesmo" homem que corta as árvores, faz casacos com a pele dos animais, colabora com a escravidão, proclama a ditadura e etc, é o "mesmo" que planta uma semente, reconhece a importância da água e do planeta, cuida de crianças com câncer e afins. Então aqui fica a sentença: Errar é humano, assim como o acertar também.


"Meus heróis
Morreram de overdose
Meus inimigos
Estão no poder
Ideologia!
Eu quero uma pra viver" 
(Cazuza)

sábado, 4 de dezembro de 2010

O Homem e o Cão

Quanto mais conheço o homem
Mais eu gosto do meu cão


Há homem que não merece
A comida do Sultão
Por isso quando falo
No fundo tenho razão
Quanto mais conheço o homem
Mais eu gosto do meu cão

A um amigo dei almoço
Dividi meu capital
Meu cachorro dei um osso
Lá no fundo do quintal
E no fim quem foi ingrato
Não foi meu cachorro não
Quanto mais conheço o homem
Mais eu gosto do meu cão

- Banda 2ois ♫